GDF 2018: líderes da disputa gastaram R$ 865 mil com cabos eleitorais

 

Dos candidatos ao Buriti, três já declararam à Justiça ter contratado atividades de militância e mobilização de rua: Eliana, Ibaneis e Fraga

Ir às ruas, balançar bandeiras e saber de cor jingles não são exclusivamente expressões de pura admiração por um candidato. Por trás da prática, costuma haver um trabalho remunerado. Dos 11 candidatos ao GDF, os três que declararam à Justiça Eleitoral ter contratado atividades de militância e mobilização de rua revelaram ter investido R$ 865.890.

À frente na pesquisa Datafolha divulgada na quinta-feira (20/9), Eliana Pedrosa (Pros), Alberto Fraga (DEM) e Ibaneis Rocha (MDB) são os que disseram à Justiça ter gastado com tal serviço, de acordo com o site DivulgaCandContas, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Ex-deputada distrital que lidera a sondagem com 20% das intenções de voto, Eliana despendeu R$ 323.125 para o trabalho em 592 lançamentos. O valor representa 53% de toda a despesa contratada pela buritizável até o momento.

Em segundo na pesquisa, com 14% e tecnicamente empatado com Eliana, o deputado federal Alberto Fraga investiu R$ 293.054, efetuados em 200 pagamentos. A verba significa 20% de todas as compras e contratações da campanha do democrata na corrida pelo Palácio do Buriti.

No rol de gastos com cabos eleitorais, o ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Distrito Federal (OAB-DF) Ibaneis Rocha fez 535 lançamentos que somam R$ 249.711 – 14% de todos os produtos e serviços contratados. O advogado aparece em terceiro, com 13%, na mais recente pesquisa Datafolha.

De acordo com o TSE, a declaração da contratação de cabos eleitorais só é possível sob a categoria atividades de militância e mobilização de rua.

No levantamento Datafolha, Fraga, Ibaneis, Rodrigo Rollemberg (PSB), com 12%, e Rogério Rosso (PSD), com 11%, estão tecnicamente empatados, levando-se em conta a margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa contratada pela TV Globo e pelo jornal Folha de S. Paulo está registrada no TSE com o número DF-05089/2018.

GDF 2018: líderes da disputa gastaram R$ 865 mil com cabos eleitorais

 

Quem são eles
Morador de Ceilândia, José Paulo Vasconcelos Júnior, 30 anos, se tornou cabo eleitoral por indicação de uma vizinha. Desde então, os dias estão cheios: o rapaz se divide em fazer campanha para Fraga, para um candidato a deputado federal e para uma postulante à distrital da mesma coligação do parlamentar.

Antes de partir para as atividades de rua, José Paulo estava desempregado havia seis meses. Em sua última ocupação formal, trabalhou como cobrador. “Fico até 7 de outubro. Depois, vou procurar outro emprego”, disse. Ele contou que Fraga pagará R$ 1,4 mil, divididos em duas parcelas. Dos outros candidatos, receberá R$ 1 mil de cada.

Foi também por mediação de um vizinho que Marinez Santos, 45, entrou para o ramo. Ela afirma estar desempregada há dois meses e recebe seguro-desemprego. Antes de trabalhar para a campanha a deputado federal do vice-governador Renato Santana (PSD), a moradora da Expansão do Setor O era auxiliar de serviços gerais.

Marinez tem planos para depois das eleições. “Quero ser empreendedora e abrir meu próprio restaurante”, declarou. Por enquanto, espera receber os R$ 1 mil prometidos para o fim do mês.

GDF 2018: líderes da disputa gastaram R$ 865 mil com cabos eleitorais

 

Cabo eleitoral do candidato à reeleição Rodrigo Rollemberg (PSB) – que apareceu em quarto lugar na mais recente pesquisa Datafolha, com 12% –, Jéssica Souza (foto em destaque), 22 anos, disse ter sido indicada por um primo que trabalha na Administração do Paranoá.

A estudante do 7º semestre de enfermagem começou no novo serviço na última segunda-feira (17). A moradora de São Sebastião afirma que receberá R$ 1 mil um dia antes do primeiro turno.

Após as eleições, quer voltar a atenção à vida acadêmica. “Depois que terminar a faculdade, pretendo fazer mestrado e doutorado. Também vou me dedicar a passar em um concurso público na minha área”, pontuou.

Confira o que os candidatos ao GDF disseram sobre a contratação de cabos eleitorais:

GDF 2018: líderes da disputa gastaram R$ 865 mil com cabos eleitorais


Colaborou Ricardo Taffner

 

Fonte: Metrópoles

Por Isadora Teixeira / Ana Luíza Vinhote

       Natália Moura/Especial para o Metrópoles

Foto: Michael Melo/Metrópoles

 

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: