Ibaneis desagrada Cristovam e Izalci

 

Senadores não foram consultados pelo governador eleito na escolha do secretário de Educação

A confirmação do nome de Rafael Parente, filho do ex-ministro da Casa Civil e ex-presidente da Petrobras Pedro Parente para a Secretaria de Educação desagradou, de uma só vez o senador Cristovam Buarque (PPS), candidato derrotado ao Senado, e o deputado Izalci Lucas (PSDB), eleito senador a partir de 2019.

Em viagem à China, de onde só retorna no próximo dia 26, Cristovam diz não ter sido consultado sobre a escolha do futuro secretário, a exemplo do que ocorreu no início da gestão do atual governador, Rodrigo Rollemberg (PSB). Mas espera que Rafael Parente cumpra o que foi negociado com o governador eleito Ibaneis Rocha (MDB) de implantar um projeto-piloto da Escola Ideal, no Recanto das Emas.

Ex-reitor da Universidade de Brasília (UnB), Cristovam, mesmo ficando sem mandato a partir do final do atual mandato, é tido como uma das maiores autoridades em educação do Brasil. Antes de se ausentar da cidade, esteve com Ibaneis e, sem indicar nome e sem ser informado da opção por Rafael Parente, apresentou sua ideia de construir quatro ou cinco escolas no Recanto das Emas com estrutura física adequada para ensino em tempo integral e com professores treinados para isso. Seria um embrião para a federalização de todas as escolas públicas do País.

Já o senador eleito Izalci Lucas pretendia indicar para a função a professora Amábile Aparecida Passos, que foi candidata ao Senado pelo PR e não se elegeu. Atualmente deputado federal, ele espera se encontrar ainda esta semana com Ibaneis Rocha. Izalci também gostaria de ser ouvido sobre as políticas e os nomes cotados para a área de Ciência e Tecnologia do futuro governo.

Rafael Parente  será  o próximo secretário de educação  Foto: Reprodução Facebook

Perfil – Rafael Parente foi subsecretário municipal de Educação do Rio de Janeiro de 2009 a 2013. É doutor em educação pela Universidade de Nova Iorque e diretor-executivo da Edufuturo, empresa de inovação na educação e impacto social, e presidente do conselho do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais (CEIPE) e sócio-efetivo do Movimento Todos pela Educação.

Também fundou e dirigiu o Laboratório de Inovação Educacional (LABi) e criou e implementou a Educopédia, o Pé de Vento, o Rioeduca e o GENTE (novo modelo de escola no bairro-favela carioca da Rocinha).

O educador é CEO da Aondê/Conecturma, que começou a ser implantado em 2015 e abrange da educação infantil ao 5º ano do ensino fundamental em 81 municípios de sete estados brasileiros. O programa utiliza tecnologias tradicionais e inovadoras para auxiliar crianças de 3 a 11 anos no aprendizado de Língua Portuguesa, Matemática entre outas disciplinas.

 

Fonte: Jornal Brasília Capital

Por Orlando Pontes

Foto: Júlio Pontes

 

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: